Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

22 de janeiro de 2022

Regulador fraco: um projeto de Governo.

 


Muito preocupante a situação do regulador do nosso mercado de capitais. Mas a quem interessa um regulador fraco, combalido?


Reféns de uma política administrativa repugnante, que privilegia descaradamente categorias com maior poder de fogo, literalmente, os superintendentes da CVM buscaram o seu presidente na tentativa de sensibilizar o homem da caneta, aquele que é visto como insensível (matéria da jornalista Juliana Schincariol no Jornal Valor Econômico do dia 07/1/22 – no link https://valor.globo.com/financas/noticia/2022/01/07/sem-reajuste-salarial-cvm-pode-perder-quadros-tcnicos-importantes-dizem-superintendentes.ghtml). Vale ressaltar que não se trata de assunto novo, como pode ser visto na postagem do Blog do dia 31/1/21 (https://www.blogdagovernanca.com/2021/01/o-xerife-esta-ficando-sem-municao.html).


Como se já não bastasse a ducha de água fria que é ver o Colegiado desconsiderar com frequência, muitas vezes por unanimidade, termos de acusação formulados com robustez (o caso dos R$ 150 milhões no bolso do famoso Júnior é o mais revoltante de todos), a área técnica da Autarquia sofre com a falta de concursos e de reajustes salariais; uma fórmula perfeita para o “malvado” mercado capturar excelentes profissionais gastando pouco.


Orçamento indecente, o menor em 13 anos (veja no link https://www.infomoney.com.br/mercados/orcamento-da-cvm-e-o-menor-em-13-anos-e-orgao-pode-paralisar-atividades/), remunerações acanhadíssimas (o todo poderoso “CEO” da CVM ganha pouco mais de R$ 16 mil/mês) e temos plano perfeito para deixar o Xerife sem ar.


Como sou adepto da linha do ex diretor da SEC Robert Khuzami ("A dissuasão funciona no mundo do colarinho branco"), entendo que o mercado só respeita o Xerife se ele tiver uma boa coleção de bordunas na mão; estilingue não funciona.


Abraços fraternos,

Renato Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.