Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

31 de julho de 2022

Relação entre a maior remuneração e a remuneração média: um tabu no Brasil.


Infelizmente os investidores só olham, quando olham, para a verba global de remuneração dos Administradores. "Esquecem" de questionar como essa verba global é distribuída.

 

E aí mora o perigo. Ao calcular essa relação nos deparamos com números que assustam (300 vezes e até 500 vezes !!!), causam inveja até à poderosa rede de farmácias norte-americana CVS e revelam que o conflito de interesses corre solto, pois a distribuição por vezes privilegia o próprio controlador, na condição de Administrador, que participa da discussão e vota na distribuição da verba, juntamente com os outros conselheiros eleitos pelo mesmo controlador.

 

O estudo completo com as empresas do Ibovespa será divulgada nesta semana, em uma parceria do Blog da Governança com a Forbes (www.forbes.com.br), a mais conceituada revista de negócios e economia do mundo, com 100 anos de história.

 

Abraços fraternos,

Renato Chaves 


23 de julho de 2022

CEOs de empresas dos EUA ganham 324 vezes mais que funcionários (em média). E no Brasil?

 


O tradicional estudo anual elaborado pela AFL-CIO nos Estados Unidos já saiu (veja no link https://g1.globo.com/economia/noticia/2022/07/20/ceos-de-empresas-dos-eua-ganham-324-vezes-mais-que-funcionarios-veja-maiores-remuneracoes.ghtml) e revelou como maior diferença entre a remuneração do CEO e a remuneração média na empresa foi na Amazon, com mais de 6.000 vezes.


Aqui no Brasil o estudo está no forno, com previsão de publicação na última semana de julho. Pessoal de RI a postos (empresas que compõem o Ibovespa com informações de remuneração de 2021), pois algumas relações ultrapassam 500 vezes, diante de uma média de 111 vezes (sem as estatais BB, Cemig, Copel, Eletrobras, Petrobras e Sabesp essa média sobe para 119 vezes).


Aguardem !!!


Abraços fraternos,

Renato Chaves

16 de julho de 2022

Assembleias no metaverso*: espalhando a mediocridade do mundo real para o mundo virtual.

 


Parece piada, mas não é. A lustrosa associação que congrega as companhias de capital aberto (também conhecida como associação brasileiras dos controladores inescrupulosos) e poderosos escritórios de advocacia (Ué, uma associação para empresas abertas com sócios pra lá de fechados? Alguém me explica....) está sugerindo ao xerife que dedique o precioso tempo de seu reduzido corpo técnico para regular a realização de assembleias no mundo virtual.


Quer dizer que o famoso advogado malvado, escolhido por 9 entre cada 10 controladores abusadores, vai ter um avatar com cara de bonzinho, meigo, quase angelical, no mundo virtual? Um Darth Vader trabalhado com filtro do Photoshop? Me poupem...


Queridos controladores, o verdadeiro sistema de participação imersivo deveria ser aquele que acontece geralmente nos 4 primeiros meses do ano, quando os Administradores teriam que prestar contas de forma efetiva, fomentando a participação dos investidores em 3 momentos: (i) antes das assembleias, com um chat para perguntas/respostas; (ii) durante os encontros, que deveriam contar com a participação de todos os executivos e não somente advogados, normalmente contratados a peso de ouro, empenhados em fazer a assembleia acontecer no menor espaço de tempo possível, sem questionamentos de investidores e; (iii) ao final das assembleias, com a redação de uma ata que permita ao investidor ausente entender minimamente qual foi a dinâmica do encontro, sem redações genéricas como “aprovado por maioria”.


Abraços fraternos,

Renato Chaves



A ideia representa a possibilidade de acessar uma espécie de realidade paralela, em alguns casos ficcional, em que uma pessoa pode ter uma experiência de imersão. Tecnicamente, o metaverso não é algo real, mas busca passar uma sensação de realidade, e possui toda uma estrutura no mundo real para isso (leia mais no link https://www.cnnbrasil.com.br/business/entenda-o-que-e-o-metaverso-e-por-que-ele-pode-nao-estar-tao-distante-de-voce/).

9 de julho de 2022

A diretoria é colegiada, mas a maior parte do pacote vai para o CEO.

 


Parece que os investidores só olham para a verba global submetida para aprovação na assembleia geral. Mas como fica a distribuição dessa verba?


Na última postagem, de 02/7/2022, apresentei informações sobre a distribuição assimétrica da verba destinada à remuneração dos conselhos de administração em algumas empresas do Ibovespa, como os obscenos 91% da verba do conselho da Magazine Luiza para o presidente do Conselho (a média nas empresas do Ibovespa é 32,5%).


Com a distribuição do pacote de remuneração para diretores é histórica é parecida: em média 34% dos pacotes destinados às diretorias estatutárias vão para o bolso do CEO. As campeãs em desigualdade foram Bradespar (CEO fica com 73% do total destinado para a diretoria), Iguatemi (68%), Telefônica e Gerdau Metalúrgica (66%), Petrorio (65%) e CVC (64%).


Vejam os números e tirem suas conclusões (a Equatorial foi excluída da amostra porque declarou que somente um diretor foi remunerado durante os 12 meses de 2021 – que coisa estranha...). Vejam também a matéria publicada no site da Forbes, de autoria da jornalista Vitória Fernandes (https://forbes.com.br/forbes-money/2022/06/salarios-de-executivos-veja-quanto-ganharam-os-mais-bem-pagos-do-brasil/).


 

TOTAL Diretoria 2021

Maior remuneração

% do TOTAL

3R PETROLEUM

1.014.528,00

 R$            264.334,00

26%

ALPARGATAS

24.933.000,00

 R$      13.492.700,00

54%

AMBEV S/A

83.664.608,95

 R$      23.713.425,41

28%

AMERICANAS

35.592.675,00

 R$      12.828.929,00

36%

ASSAI/SENDAS

39.653.428,95

 R$      20.857.461,14

53%

AZUL

25.297.314,00

 R$         9.677.412,00

38%

B3

71.768.863,20

 R$      20.815.999,00

29%

BANCO INTER

35.129.647,57

 R$         4.698.742,76

13%

BANCO PAN

21.511.182,00

 R$         5.500.000,00

26%

BBSEGURIDADE

4.744.764,16

 R$            896.437,08

19%

BR MALLS PAR

21.244.306,31

 R$         6.882.179,89

32%

BRADESCO

818.264.207,35

 R$      29.323.800,00

4%

BRADESPAR

13.136.000,00

 R$         9.553.703,40

73%

BRASIL

42.918.700,60

 R$         1.250.448,03

3%

BRASKEM

62.252.038,70

 R$      24.038.264,67

39%

BRF SA

55.793.647,33

 R$      13.073.010,28

23%

BTGP BANCO

16.905.000,00

 R$         2.400.000,00

14%

CARREFOUR BR

31.637.302,76

 R$      10.917.494,77

35%

CCR SA

25.565.000,00

 R$         7.370.329,12

29%

CEMIG

12.597.631,42

 R$         2.375.087,81

19%

CIELO

41.274.843,25

 R$      12.049.679,50

29%

COGNA ON

39.654.035,57

 R$      21.177.206,61

53%

COPEL

8.460.953,07

 R$            879.234,46

10%

COSAN

63.480.405,01

 R$      27.662.022,02

44%

CPFL ENERGIA

22.843.115,00

 R$         8.645.416,00

38%

CSNMINERACAO

7.502.091,00

 R$         2.475.955,00

33%

CVC BRASIL

28.118.056,41

 R$      17.884.634,73

64%

CYRELA REALT

20.082.280,30

 R$         5.997.385,00

30%

DEXCO

39.740.226,00

 R$      14.799.429,00

37%

ECORODOVIAS INFRA

8.004.241,06

 R$         5.062.209,73

63%

ELETROBRAS

6.443.744,90

 R$         1.027.824,23

16%

EMBRAER

27.332.239,88

 R$      10.123.194,00

37%

ENERGIAS BR

8.520.547,00

 R$         2.489.148,00

29%

ENERGISA

6.565.294,71

 R$            633.134,83

10%

ENEVA

87.240.845,82

 R$      52.719.896,10

60%

ENGIE BRASIL

17.712.951,44

 R$         3.371.882,49

19%

EZTEC

8.948.155,00

 R$         3.756.120,00

42%

FLEURY

26.001.000,00

 R$         6.506.169,00

25%

GERDAU

16.133.327,82

 R$         9.360.145,00

58%

GERDAU MET

2.126.696,86

 R$         1.400.578,00

66%

GOL

16.780.629,78

 R$         8.782.164,19

52%

GRUPO NATURA

25.865.100,00

 R$         6.715.100,00

26%

GRUPO SOMA

9.764.975,26

 R$         3.034.543,52

31%

HAPVIDA

47.598.633,67

 R$      12.225.771,40

26%

HYPERA

28.010.201,47

 R$      12.980.753,01

46%

IGUATEMI S.A

6.849.460,15

 R$         4.686.621,99

68%

IRBBRASIL RE

27.513.672,66

 R$      13.362.281,39

49%

ITAUSA

30.523.253,00

 R$      13.471.147,00

44%

ITAUUNIBANCO

425.541.989,00

 R$      52.966.000,00

12%

JBS

121.095.513,72

 R$      52.686.389,00

44%

JHSF PART

14.807.162,82

 R$         6.755.319,66

46%

KLABIN S/A

34.724.165,09

 R$      17.386.354,81

50%

LOCALIZA

61.238.346,00

 R$      29.705.223,40

49%

LOCAMERICA

22.649.999,80

3.961.490,00

17%

LOCAWEB

18.347.852,34

 R$         5.121.008,30

28%

LOJAS RENNER

23.893.505,86

 R$         8.433.536,02

35%

MAGAZ LUIZA

40.710.405,00

 R$      13.672.873,46

34%

MARFRIG

35.606.163,35

 R$      19.483.848,17

55%

MELIUZ

2.302.700,00

 R$            857.710,00

37%

MINERVA

26.903.621,94

 R$         8.753.529,50

33%

MRV

21.269.063,00

 R$         5.637.088,00

27%

MULTIPLAN

39.357.442,01

 R$      13.522.924,29

34%

P.ACUCAR-CBD

28.212.048,59

 R$         9.329.083,17

33%

PETROBRAS

35.456.805,20

 R$         3.079.232,01

9%

PETRORIO

17.948.400,00

 R$      11.611.200,00

65%

PETZ

18.477.797,89

 R$      10.149.067,70

55%

POSITIVO TEC

10.427.877,64

 R$         1.418.582,66

14%

QUALICORP

38.622.401,17

 R$      19.949.918,00

52%

RAIADROGASIL

32.155.723,00

 R$      10.980.753,00

34%

REDE D OR

132.078.328,00

 R$      27.197.930,00

21%

RUMO S.A.

34.085.697,99

 R$      17.426.065,18

51%

SABESP

5.135.802,88

 R$            884.033,61

17%

SANTANDER BR

369.488.844,32

 R$      59.029.586,25

16%

SID NACIONAL

44.856.690,00

 R$         5.325.645,00

12%

SLC AGRICOLA

15.078.385,55

 R$         5.362.284,00

36%

SUL AMERICA

3.077.864,00

781.533,00

25%

SUZANO S.A.

88.622.319,00

22.595.979,76

25%

TAESA

14.194.023,92

4.250.015,48

30%

TELEF BRASIL

21.603.909,08

14.340.962,04

66%

TIM

47.200.829,58

16.140.159,00

34%

TOTVS

33.685.537,61

5.751.602,77

17%

ULTRAPAR

49.282.029,30

16.115.758,13

33%

USIMINAS

34.700.578,69

7.388.372,08

21%

VALE

184.210.025,79

55.144.333,69

30%

VIA

57.086.951,64

21.397.238,34

37%

VIBRA

24.752.170,14

6.808.250,00

28%

WEG

4.368.794,00

781.489,29

18%

YDUQS PART

30.280.233,00

13.917.076,28

46%


Abraços fraternos,

Renato Chaves