Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

5 de outubro de 2020

Acorda Magalu !!! Desigualdade no Brasil: empresas do Ibovespa fazem parte do problema.

 


As grandes empresas fazem parte do problema sim, e da solução também.


Elogiei efusivamente a Magazine Luiza na última postagem pela iniciativa no seu programa de trainee, mas ao ver a empresa na lista de empresas do Ibovespa com maior desigualdade de remuneração não posso deixar de gritar: acorda Magalu !!!


Este estudo foi feito com base nos Formulários de Referência (itens 13.11 e 14) e Demonstrações Financeiras (DVA consolidado – item 7.08.01.01 – remuneração direta -pessoal) das empresas que compõem o Ibovespa (base 2019 – exceto CVC e Natura que não haviam disponibilizado informações na época da apuração) e foi objeto de matéria da jornalista Juliana Schincariol no jornal Valor do dia 28/9 (Link: https://valor.globo.com/carreira/noticia/2020/09/28/ceos-tem-remuneracao-600-vezes-maior-que-funcionario.ghtml).


Como deixei de acreditar em super-heróis em 1971, ao completar 6 anos, vejo a remuneração de executivos no Brasil bem excessiva: ganham muito não pelo valor que agregam, mas simplesmente porque as empresas são grandes. A comparação com craques de futebol, constante da matéria, chega a ser risível. Será que eles ajudaram a criar o “windows” e não colocaram isso nos currículos?


Merecem uma boa remuneração pela complexidade das operações, pela responsabilidade do cargo, mas se a empresa é grande também é grande o número de profissionais no entorno do CEO. Já repararam a quantidade de diretores nos bancos? Nem uma estratégia vencedora pode ser creditada a uma única mente brilhante, pois participam conselheiros, o corpo gerencial e um bom número de consultores contratados para ajudar nessa empreitada.


A alegação de que a comparação não é justa porque a remuneração do CEO é composta por ações merece reflexão: mundo afora também é assim e não vemos diferenças tão abissais.


A relação de mais de 600 vezes reforça a percepção de que a desigualdade na nossa sociedade está cristalizada nas grandes empresas. Basta comparar com mercados e empresas mundo afora: estudo da Bloomberg revela que nos EUA essa relação é de 265 vezes, na Índia 229 vezes, Alemanha 146 e Suécia 60 vezes. Já o site Paysacle revela que a empresa com a maior relação no mercado norte-americano, a rede de farmácias CVS, atinge 434 vezes (Link: https://www.payscale.com/data-packages/ceo-pay).


Vejam a tabela completa a seguir, com destaque para as relações acima de 200 vezes, ressaltando que holdings e empresas estatais são “pontos fora da curva”. Como não se trata de um estudo acadêmico convém ressalvar que as relações poderiam ser muito mais “amargas”, passando de 700 vezes, caso as remunerações dos Administradores tivessem sido retiradas do DVA (item 7.08.01.01 – remuneração direta –pessoal), já que foram computadas nessa linha de acordo com a Deliberação CVM nº 557.


EMPRESA

Maior remuneração na Diretoria

Remuneração média dos empregados

Relação maior remuneração/remuneração média

AMBEV S/A

R$ 14.170.295,57

R$ 147.575,06

96

AZUL

R$ 6.978.955,00

R$ 95.445,60

73

B3

R$ 51.250.578,90

R$ 327.812,67

156

BRASIL

R$ 1.810.828,37

R$ 153.388,27

12

BRADESCO

R$ 30.659.720,00

R$ 100.363,77

305

BBSEGURIDADE

R$ 1.514.848,64

R$ 68.430,38

22

MINERVA

R$ 8.769.205,16

R$ 36.582,49

240

BTGP BANCO

R$ 2.400.000,00

R$ 350.261,36

7

BRADESPAR

R$ 11.177.154,00

R$ 882.488,82

13

PETROBRAS BR

R$ 2.711.572,79

R$ 331.683,42

8

BRF SA

R$ 10.105.934,64

R$ 43.086,81

235

BRASKEM

R$ 21.124.337,61

R$ 165.827,20

127

BR MALLS PAR

R$ 9.155.328,72

R$ 83.293,60

110

B2W DIGITAL

R$ 9.137.149,00

R$ 38.893,96

235

CCR SA

R$ 9.516.717,00

R$ 96.889,17

98

CIELO

R$ 9.113.955,18

R$ 260.996,43

35

CEMIG

R$ 1.911.826,60

R$ 217.725,34

9

COGNA ON

R$ 22.817.852,62

R$ 52.081,43

438

CPFL ENERGIA

R$ 8.484.000,00

R$ 61.491,65

138

CARREFOUR/Atacadão

R$  10.910.740,00

R$ 30.310,22

360

COSAN

R$ 27.251.867,91

R$ 566.362,42

48

SID NACIONAL

R$ 5.239.985,00

R$ 78.921,05

66

CVC BRASIL 2018

R$ 37.908.417,29

R$ 91.810,77

413

CYRELA REALT

R$ 1.545.244,46

R$ 73.767,93

21

ECORODOVIAS INFRA

R$ 2.735.697,16

R$ 75.857,18

36

ENGIE BRASIL

R$ 3.155.311,03

R$ 146.962,21

21

ELETROBRAS

R$ 1.029.791,51

R$ 335.899,04

3

EMBRAER

R$ 6.715.947,00

R$ 169.374,35

40

ENERGIAS BR

R$ 1.756.874,00

R$ 103.742,16

17

ENERGISA

R$ 2.339.633,00

R$ 808.149,79

3

EQUATORIAL

R$ 5.435.929,00

R$ 189.100,33

29

FLEURY

R$ 5.116.958,00

R$ 45.127,55

113

GERDAU

R$ 4.585.691,00

R$ 137.367,93

33

INTERMEDICA

R$ 8.204.164,00

R$ 17.236,48

476

GERDAU MET

R$ 721.701,00

R$ 137.367,93

5

GOL

R$ 7.289.386,56

R$ 100.393,74

73

HAPVIDA

R$ 9.507.728,31

R$ 21.684,35

438

CIA HERING

R$ 6.812.000,00

R$ 44.410,46

153

HYPERA

R$ 11.384.766,85

R$ 97.715,20

117

IGUATEMI

R$ 7.411.755,55

R$ 142.494,59

52

IRBBRASIL RE

R$ 13.447.567,66

R$ 374.104,99

36

ITAUSA

R$  8.543.000,00

R$ 492.957,75

17

ITAUUNIBANCO

R$ 52.060.000,00

R$ 110.074,73

473

JBS

R$ 32.142.620,00

R$ 88.910,46

362

KLABIN S/A

R$ 10.603.660,45

R$ 71.410,07

148

LOJAS AMERIC

R$ 19.402.611,00

R$ 29.268,50

663

LOJAS RENNER

R$ 4.028.573,56

R$  39.998,72

101

MAGAZ LUIZA

R$ 21.253.745,80

R$ 40.436,55

526

MARFRIG

R$ 6.320.524,61

R$ 118.579,67

53

MRV

R$ 3.924.928,00

R$ 36.470,64

108

MULTIPLAN

R$ 20.150.773,26

R$ 468.726,11

43

GRUPO NATURA 2018

R$ 11.362.400,00

R$ 151.380,84

75

P.ACUCAR-CBD

R$ 19.668.196,68

R$  30.311,61

649

QUALICORP

R$ 11.409.642,30

R$  152.621,03

75

RAIADROGASIL

R$ 10.782.560,00

R$  34.411,72

313

RUMO S.A.

R$ 4.993.877,51

R$ 61.089,06

82

LOCALIZA

R$ 18.121.558,04

R$ 54.291,44

334

SANTANDER BR

R$ 45.325.345,00

R$ 124.673,56

364

SABESP

R$ 866.950,50

R$  121.491,07

7

SUL AMERICA

R$ 1.641.632,28

R$ 114.591,56

14

SUZANO S.A.

R$ 16.048.947,94

R$ 117.513,98

137

TAESA

R$ 2.523.695,29

R$ 121.276,09

21

TIM PART S/A

R$ 7.253.890,00

R$ 53.356,53

136

TOTVS

R$ 3.557.103,36

R$  106.497,90

33

ULTRAPAR

R$ 12.824.612,99

R$ 130.972,67

98

USIMINAS

R$ 4.931.845,64

R$ 67.436,59

73

VALE

R$ 15.102.649,02

R$  113.062,08

134

TELEF BRASIL

R$ 10.823.903,40

R$ 87.208,00

124

VIAVAREJO

R$ 5.573.204,34

R$ 44.116,58

126

WEG

R$ 584.032,46

R$ 84.653,79

7

YDUQS PART

R$ 5.622.339,80

R$ 76.483,80

74

 

Abraços fraternos,

Renato Chaves

P.S.: alguns números podem causar estranheza, especialmente as menores relações. Isso é possível porque algumas empresas informaram a "remuneração direta-pessoal" do grupo econômico e o número de empregados somente da holding. Outras empresas concentraram contratações de pessoal nos últimos meses do ano, o que pode causar diferenças, uma vez que o valor constante da DVA ("remuneração direta-pessoal") é acumulado do ano e o número de empregados do item 14 é a posição em 31/12. Mas como disse os números foram capturados dos documentos depositados na CVM, sem qualquer "tratamento".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.