Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

1 de maio de 2022

O perfume vazou e o feitiço acabou?

 


Vazamento de informações ainda não divulgadas ao mercado é algo relativamente corriqueiro nos noticiários e na CVM, mas vazamento espontâneo, fruto de conversas entre uma Cia. e analistas em reuniões privadas, é algo inédito. Parece que a queridinha do mercado, a empresa listada mais cheirosa do Brasil, está em apuros.


Sempre questionei essas conversas privadas, pois os analistas querem saber fatos inéditos (a postagem de 08/8/21 trata do relacionamento entre investidores e conselheiros, mas se aplica também ao DRI – link   https://www.blogdagovernanca.com/2021/08/relacionamento-entre-investidores-e.html). Ninguém visita o DRI para ouvir informações pasteurizadas divulgadas nas conferências de resultados ou para beber cafezinho.


Quando a Cia. divulga guindance, como é o caso da perfumada empresa em questão, a curiosidade aumenta muito. E se, mesmo por descuido, a empresa passar a ideia de que não irá atingir o que “prometeu” abre-se a possibilidade de uso indevido dessa informação.


No dia da queda abrupta (mais de 15%), a Cia. fez reuniões com analistas de mercado, conforme Fato Relevante emitido em 21/4/2022. Diz um trecho do documento: “Em 20 de abril de 2022, a área de Relações com Investidores da Companhia manteve reuniões com analistas de mercado, visando prestar esclarecimentos e informações de forma a auxiliar tais analistas a entender os negócios e as perspectivas da Companhia” (no link https://ri.naturaeco.com/documentos-regulatorios-e-assembleias/fatos-relevantes/). 


Abre parênteses: os analistas são bem crescidinhos e muito bem formados, ou seja, não precisam de “informações” para entender o negócio.


A acusação é gravíssima e a CVM tem que agir rápido partindo para cima dos eventuais favorecidos, inclusive pessoas jurídicas.


Abraços fraternos,

Renato Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.