Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

26 de fevereiro de 2022

Temporada de assembleias: o misterioso caso do desaparecimento de ressalva do auditor.

 

Começa a divulgação das demonstrações financeiras de 31/12/2021 e logo de cara temos uma surpresa de parar o trânsito em posto de pedágio de Seropédica.


E não é que a ressalva dos auditores feita nas DFs de 31/12/2020 simplesmente desapareceu, mesmo com a declaração da empresa envolvida em casos de corrupção de que o status dos processos não mudou. A única empresa do Ibovespa com ressalva nas DFs de 2020 agora está limpinha.


Disse o auditor (um big4) sobre as DFs de 31/12/2000 para justificar a ressalva: “No momento, não é praticável determinar se há perda provável decorrente de obrigação presente em vista de evento passado e nem fazer uma mensuração razoável quanto a eventuais novas provisões passivas sobre este assunto nestas demonstrações financeiras. Consequentemente, não foi possível determinar se teria havido necessidade de efetuar ajustes e/ou divulgações adicionais nas demonstrações financeiras individuais e consolidadas em 31 de dezembro de 2020 e informações correspondentes divulgadas para fins de comparação.”


Sobre as DFs de 31/12/2021 a Nota Explicativa da Administração afirma que: “As investigações das autoridades públicas não foram concluídas e, dessa forma, novas informações podem ser reveladas no futuro, sendo certo que tais investigações correm em segredo de justiça. No momento, não é praticável determinar se há perda provável decorrente de obrigação presente em vista de evento passado e nem fazer uma mensuração razoável quanto a eventuais novas provisões passivas sobre este assunto nestas demonstrações financeiras.”


Ou seja, nada mudou, exceto a opinião dos auditores (o sócio é o mesmo). Mais flexível que bambu.


Socorro Ibracon !!!


Acorda Xerife !!!


E tem gente acreditando que diversidade é eleger a esposa no conselho de administração. Haja “G” nesse ESG. Assunto para uma próxima postagem.


Abraços fraternos,

Renato Chaves


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.