Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

6 de fevereiro de 2022

Assembleias anuais: todo cuidado é pouco.

 


Fato nº 1: investidores olham somente a verba global destinada a remunerar os Administradores. Eventualmente olham nos formulários de referência o total de remuneração de cada órgão – conselho de administração, diretoria e conselho fiscal.


Fato nº 2: com uma inflação de 10% no ano as demonstrações financeiras sofrem na sua capacidade de transmitir a real situação das empresas.  O alerta vem dos professores Eliseu Martins e Ariosvaldo dos Santos, verdadeiros Papas da Contabilidade no nosso país, em artigo publicado no jornal Valor pelo jornalista Fernando Torres (veja o artigo no link https://valorinveste.globo.com/blogs/fernando-torres/post/2022/01/professores-ariovaldo-e-eliseu-alertam-para-balancos-de-2021.ghtml e na “Live do Valor” no link https://valor.globo.com/live/noticia/2022/01/28/live-do-valor-professores-ariovaldo-dos-santos-e-eliseu-martins-da-fea-usp-falam-sobre-o-impacto-da-inflacao-nos-balancos-de-2021-nesta-segunda-as-12h.ghtml). Assunto para uma próxima postagem.


Quando votam a verba global a ser paga aos Administradores no ano, geralmente os acionistas deixam passar debaixo dos seus narizes as escandalosas remunerações de alguns presidentes de conselhos de administração.


A cada nova safra de formulários de referência depositados na CVM eu publico uma relação entre a maior e a menor remuneração nos conselhos (vejam a postagem 17/09/21 – disponível no link https://www.blogdagovernanca.com/2021/09/remuneracao-de-presidentes-de-conselhos.html), que revelam diferenças abissais. Existem conselheiros classe AAA e outros na classe D.


Nesse caso o dilema de Tostines não se aplica (Tostines vende mais porque é fresquinho ou é fresquinho porque vende mais?), ou seja, os presidentes de conselho ganham muito simplesmente porque a empresa é grande; agregam muito pouco, ou quase nada. R$ 12 milhões/ano para coordenar um colegiado? No final do dia, se ocorre um acidente na empresa, quem dá a cara para as autoridades e imprensa são os executivos. Como diria um amigo baiano conselho de administração é uma “entidade” – todos na empresa sabem que existe, mas ninguém nunca viu em carne e osso. Perguntem aos analistas os nomes dos presidentes de conselho das empresas que acompanham. Ou então me digam, quantos presidentes de conselho saem detrás de suas mesas para participar de uma AGO? Pouquíssimos, já que a grande maioria se acovarda e prefere contratar a peso de ouro advogados “maus” para tratar os investidores com uma borduna na mão. Por outro lado esses seres diferenciados são os primeiros no portão de embarque quando tem um Investor Day em NY; classe executiva e sem escalas, é claro. Enquanto isso a turma que realmente faz o evento acontecer, o bravo pessoal de RI, vai de classe econômica com uma agradável parada de 4 horas em Miami.


Voltando aos números, desta vez trago um estrato com os presidentes de Conselho que recebem mais de R$ 1,5 milhão por ano nas empresas que compõem o Ibovespa.


Isso acontece principalmente por duas razões: ou o presidente do conselho de administração é o próprio acionista controlador, situação mais comum, ou é alguém de extrema confiança dos acionistas controladores – em bom português “faz parte da panela”. Reparem que a remuneração não guarda qualquer relação com a complexidade/tamanho do negócio.


 

MAIOR REMUNERAÇÃO NO CAdm (em R$)

AMBEV S/A

7.895.479,83

AZUL

8.911.031,00

B3

4.088.090,00

BRADESCO

8.103.000,00

BTGP BANCO

4.800.000,00

BRF SA

12.878.285,10

BRASKEM

2.100.000,00

COSAN

1.628.000,00

CYRELA REALT

3.370.701,00

ENGIE BRASIL

2.193.509,56

EMBRAER

1.918.125,00

ENEVA

34.977.241,66

GERDAU

10.545.919,00

HAPVIDA

2.426.336,82

ITAUSA

9.575.115,00

ITAUUNIBANCO

10.392.000,00

JHSF PART

7.114.968,86

LOJAS RENNER

14.903.025,74

MAGAZ LUIZA

1.738.800,00

MARFRIG

2.292.234,12

MRV

11.303.919,00

GRUPO NATURA

66.170.800,00

P.ACUCAR-CBD

65.944.593,42

RAIADROGASIL

2.071.575,00

RUMO S.A.

5.386.386,00

LOCALIZA

5.050.500,00

SANTANDER BR

1.802.918,40

SUZANO S.A.

8.247.042,26

TOTVS

2.878.838,40

ULTRAPAR

1.800.000,00

VALE

1.515.887,77


É de arrepiar os cabelos, não é?


Abraços fraternos,

Renato Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.