Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

24 de março de 2019

O pedágio mais caro do mundo.



Acionistas de uma outrora bem conceituada empresa listada no Novo Mercado foram surpreendidos com mais um desembolso de caixa para o encerramento de acordo com autoridades que apuram o pagamento de propinas a agentes públicos, dessa vez com o Ministério Público Federal.

Soma-se a isso os gastos milionários com a contratação de consultorias para “revisar a estrutura de governança da Companhia em linha com as melhores práticas nacionais e internacionais, e da [auditoria big4] para realizar o mapeamento de riscos e estruturação da área de gestão de riscos”, a nomeação de um novo cargo na estrutura diretiva (VP de Compliance), além da criação do chamado “comitê independente” para “conduzir uma investigação profunda e meticulosa dos eventos citados no depoimento divulgado na mídia e conexos”, e temos um prejuízo incalculável para os investidores da Cia.

Mas não é “só isso tudo”... A AGE convocada para abril propõe, além da aprovação do pagamento de custos adicionais com os “funcionários colaboradores” nos citados acordos, que serão mantidos indenes de custos (inclusive de advogados) e indenizações relacionados a eventuais demandas de terceiros, e também da própria Companhia, pelos fatos eventualmente confessados por eles, ainda que tenham causado prejuízos à Companhia, o desembolso de aproximadamente R$ 50 milhões com o pagamento de 60 salários para cada “colaborador”, uma espécie de prêmio para quem ajudou jogar a reputação da Cia na sarjeta. 

E tem mais: a AGE irá aprovar, certamente com o voto conflitado do bloco controlador, a não propositura de ação de responsabilidade civil contra os antigos administradores participantes do Programa de Incentivo à Colaboração !!!

Ok, a turma de colarinho branco/caneta MontBlanc resolve a vida com as autoridades na esfera penal, fica indene, a empresa paga a conta (incluindo minoritários-otários, os famosos minorotários), mas como fica a situação do “time” de gestores na esfera administrativa? Alguma punição depois de saírem de fininho? Inabilitação na CVM? E os acionistas controladores? Não sabiam de nada? Tão ingênuos, praticamente uns tolinhos...

Toda corrupção será perdoada, com o aval dos investidores institucionais.

Abraços a todos,
Renato Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.