Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

22 de março de 2020

A inoperância da B3 e CVM: o mercado de capitais tem que parar, o Brasil tem que parar.



Quem não leu deve ler o artigo do Prof. Rodrigo Zeidan, colunista do jornal Folha de São Paulo e colega de Fundação Dom Cabral, com o título “Parem o país” (https://www1.folha.uol.com.br/colunas/rodrigo-zeidan/2020/03/parem-o-pais.shtml). Ele afirma que
“europeus achavam que dava para ficar em cima do muro, e a tragédia se instaurou”.

No âmbito do mercado de capitais tem que suspender tudo: a realização das AGOs e a publicação de DFs e ITRs, até que a situação seja normalizada. Depende de mudança na Lei? Medidas provisórias estão aí para isso. Ou vamos expor a vida de funcionários das áreas financeiras, RI, jurídico, etc. das empresas só para satisfazer quem está querendo especular nesse momento? Qual o fundamento para um papel cair 15% em um dia para subir 7% no dia seguinte? A empresa parou de faturar, mas no dia sentido despachou um navio abarrotado para a China? Claro que nada aconteceu, o que temos é gente especulando fortemente e quem sabe até manipulando preços.

Uma amiga jornalista me perguntou se as DFs de 31/12/19 deveriam ser refeitas.... Não !!! Só saberemos dos impactos nas empresas depois que a poeira baixar. Alias, parodiando Raul Seixas, o auditor ficou em casa porque sabia que o contador não estava lá (O dia em que a Terra parou - https://www.youtube.com/watch?v=PuZy6gYtU6o).

Infelizmente, se nada for feito agora, as empresas terão que informar nas Notas Explicativas das próximas DFs o número de cadáveres nas portas de suas fábricas e escritórios.

Eu até imagino que, passado o período de isolamento social voluntário, as vendas se recuperarão em uma velocidade surpreendente: demanda reprimida. Eu já tenho uma listinha do que comprar, coisas para casa que só mesmo a convivência diária forçada (e intensa) com louças e panelas me fez enxergar.

Liguei para o 0800 da CVM no início da semana para saber se o prazo para realização das AGOs seria revisto e a simpática atendente me passou o telefone da SEP. Nova tentativa e o assustado funcionário nem trocou duas palavras comigo: é investidor, então o assunto é com a SOI... Nova tentativa, e a resposta burocrática foi “procura no site da CVM”.

Pois bem, o que temos para hoje, além de profunda preocupação e tristeza, é o seguinte comunicado (emitido no sábado 21/3/20 - http://www.cvm.gov.br/noticias/arquivos/2020/20200321-1.html):

“A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) informa que não há, neste momento, nenhuma discussão relacionada a interrupção de negócios realizados em Bolsa. Tampouco existe a suposta "pressão" desta Autarquia junto à B3 para que as atividades realizadas pela instituição sejam interrompidas”.

Tudo passa e tudo muda. Nesse momento conturbado podemos ler aquele livro parado na prateleira, ouvir aquela música inspiradora... “Todo cambia”, muda o rumo o caminhante como nos disse a brilhante Mercedes Sosa (https://www.youtube.com/watch?v=SJ9klrcXRVI).

Desejo boa sorte a todos. Vamos precisar.

Um abraço fraterno,
Renato Chaves

P.S.: quando vejo a repórter da Globonews entrevistando o economista de uma gestora de recursos com uma mesa de operações repleta de gente ao fundo logo penso: o mercado financeiro não sabe o que é trabalho remoto? Já sei, não tem como acessar o Bloomberg de casa... Quantos desses dedicados funcionários morrerão nos próximos dias? Quantos familiares serão infectados? A repórter vai morrer? Não estou rogando praga, mas a inoperância dessa gente vai matar muita gente !!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.