Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

8 de julho de 2018

Messi e CR7 fazem a diferença... E os CEOs?


Em tempos de Copa do Mundo temos uma unanimidade: Messi e CR7 jogam muito.

Mas e nas nossas corporações, especialmente em empresas listadas? Podemos considerar os CEOs “craques diferenciados”, capazes de “jogadas mirabolantes”, e que por isso merecem receber uma remuneração bem superior aos demais “companheiros de equipe”? Tudo bem, pelas cláusulas estatutárias os CEOs carregam maiores responsabilidades, mas convém lembrar que o discurso comum é esse: somos um time, uma “equipe que joga junto”, etc.... Juro, pela glória da Estrela Solitária de General Severiano, já ouvi de um CEO que a sua diretoria era formada por um time de craques, que “batiam um bolão”... Pouco tempo depois 90% da Diretoria foi substituída.

Certo, vamos aceitar que os “CEOs-celebridades” fazem realmente a diferença e como chefes do time devem receber mais do que os não menos importantes diretores estatutários. Aí vem a 2ª pergunta: como os acionistas devem reconhecer esse talento diferenciado, essa liderança formal? Qual o percentual a mais que devem receber em relação aos seus subordinados diretos? 50%? Quem sabe 100%? 300%?

Será que uma diferença abissal entre as remunerações não desestimula, classificando o CEO como um CR7, um profissional “bola de ouro” que joga na “Champions League”, e os demais diretores como meros coadjuvantes, jogadores de “série B” do nosso Brasileirão”?

Ok, vão alegar que parte do pacote de remuneração é personalíssimo, incentivos de longo prazo, bônus de contratação, bônus de saída (3 anos de salários tá bom?), mas são razoáveis diferenças de 3.104%, 3.689%?

Coloquei dados de 50 importantes empresas listadas em uma planilha para identificar as diferenças percentuais entre a maior e a menor remuneração na diretoria (VIVA, ainda estou comemorando a queda da famigerada liminar do Instituto chapa branca). Foram excluídas as estatais porque as remunerações não são comparáveis, não merecem nem nota de rodapé. Os números assustam; marquei só as diferenças mais relevantes, acimas de 1.000%. Tirem suas conclusões, perguntem muito e reflitam bastante antes de votar na próxima assembleia, especialmente nas empresas onde o controlador atua como CEO ou presidente do conselho de administração.


maior
variação
menor
Alpargatas
7.336.200,00
159,0%
2.832.000,00
Aliansce
5.093.285,63
308,6%
1.246.386,86
AMBEV
14.065.113,97
470,1%
2.466.975,34
B2W
8.018.748,00
426,8%
1.522.275,00
B3
52.356.632,45
682,1%
6.693.999,10
Banco BTG
4.700.000,00
370,0%
1.000.000,00
Bradesco S.A.
15.952.500,00
1482,6%
1.008.000,00
Braskem S.A.
13.115.784,05
183,6%
4.624.112,26
BRF
2.640.000,00
98,5%
1.330.000,00
BrMalls
22.871.493,25
1789,9%
1.210.211,52
CCR S.A.
12.814.521,11
504,0%
2.121.565,90
Cia Siderúrgica Nacional
4.915.361,00
805,0%
543.132,00
Cielo S.A.
5.586.453,00
18,3%
4.722.225,00
Cosan S.A.
4.877.297,67
12,6%
4.332.588,56
CPFL Energia S.A.
9.701.000,00
3689,5%
256.000,00
Duratex
3.037.094,00
185,2%
1.064.881,00
Ecorodovias
7.773.560,00
733,5%
932.687,00
Embraer S.A.
8.251.211,67
288,7%
2.122.648,21
Estacio
3.970.881,99
511,7%
649.173,67
Even
7.439.490,00
1792,2%
393.165,00
Fibria Celulose S.A.
7.921.727,70
379,6%
1.651.900,51
Gafisa
2.428.106,90
0,0%
2.428.106,90
Gerdau S.A.
422.294,42
709,8%
52.150,39
GOL
7.527.974,06
558,6%
1.142.979,86
Hypermarcas/Hypera
42.625.651,00
2521,3%
1.626.156,00
Iguatemi
8.086.564,48
349,6%
1.798.465,72
Iochpe
1.879.505,00
212,1%
602.185,00
Itaú Unibanco
40.918.000,00
1672,1%
2.309.000,00
Itaúsa
5.819.407,00
703,8%
724.000,00
Klabin
10.740.321,66
191,4%
3.685.325,64
Kroton
25.475.271,39
1075,0%
2.168.112,17
Localiza
14.734.656,55
687,8%
1.870.303,81
Lojas Americanas S.A.
19.105.727,00
1727,5%
1.045.477,80
Lojas Renner
21.484.446,30
626,8%
2.955.993,99
Metalúrgica Gerdau S.A.
821.313,15
105,5%
399.676,82
Minerva S.A.
2.222.797,68
261,1%
615.527,44
Multiplan
19.754.789,06
285,6%
5.123.041,15
Multiplus S.A.
4.247.863,00
264,1%
1.166.705,00
Oi S.A.
15.514.475,00
31,5%
11.801.532,00
Pão de Açúcar/CBD
49.727.847,00
3104,0%
1.552.035,00
Porto Seguro
3.098.000,00
29,1%
2.400.000,00
Raia
12.334.388,00
233,8%
3.695.426,00
Rumo
22.801.721,00
1124,2%
1.862.578,00
Santander
29.985.549,15
1570,1%
1.795.457,14
Ser Educacional
1.026.409,49
194,5%
348.475,00
Suzano
11.259.426,87
220,2%
3.516.033,49
Telefonica
6.719.912,45
259,4%
1.869.946,81
TIM Participações S.A.
8.173.653,71
956,3%
773.800,50
Vale S.A.
58.539.091,15
704,1%
7.279.805,88
Via Varejo S.A.
14.524.254,43
412,5%
2.834.133,92
Médias
13.688.755,45
2.243.327,17


Abraços a todos,
Renato Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.