Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço independente (sem patrocínios ou monetização digital) pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

8 de setembro de 2013

Diversidade? Cadê?

Sobram Pedros, Guilhermes, Antônios e Robertos. Senhores sisudos, engravatados que supostamente entendem de tudo, até de cosméticos. São elegantes, com seus ternos bem cortados e suas gravatas caras (para que servem as gravatas mesmo em um país tropical?), mas nunca usaram um batom. A verdade é que faltam Marias, Anas, Letícias e Julianas nos cargos gerenciais e nos conselhos de administração das Naturas da vida, assim como faltam negros. 

Que tal incluirmos no Formulário de Referência a exigência de apresentação do percentual de mulheres e negros em cargos de chefia? Só depende da CVM...

Ao invés de impormos cotas a mudança se daria pelo constrangimento, onde as empresas que usam o termo diversidade levianamente seriam desmascaradas. A idéia pode ser boa, mas sempre pode aparecer um instituto carioca “espírito de porco” com uma liminar judicial para proteger quem não precisa de proteção e esconder o que não deve ser escondido.

Abraços a todos e uma boa semana,

Renato Chaves

2 comentários:

  1. De acordo com o censo de 2010 do IBGE, os negros e pardos representam 50,1% da nossa população. Os brancos representam 47,7%. Dá para contarmos nos dedos quantos negros/pardos vemos nos grandes eventos corporativos em São Paulo. Da mesma forma, segundo o censo de 2000 do IBGE (estou desconfiando dos dados de 2010) temos 14,5% da nossa população com alguma deficiência. Destes, 48,1% tem alguma deficiência visual, 27,1% física, 16,6% mental e 8,2% auditiva. As pessoas com deficiência praticamente inexistem em cargos diretivos no mundo corporativo brasileiro. Negros, pardos, pessoas com alguma deficiência...estamos avançando, mas temos trabalho a fazer.

    ResponderExcluir
  2. Bom ponto, Renato. Os indicadores LA1 e LA2 da GRI já tratam do tema, mas menos de 1/3 das empresas na bolsa usam esse padrão de relato. A Revista Exame desse mês também falou do assunto. Abcs, Gustavo

    ResponderExcluir

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.