Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

9 de dezembro de 2017

Liminar contra a ICVM 480: parece que induziram o judiciário a um erro.


Todos conhecem a demanda judicial que se arrasta desde 2010, iniciada de forma covarde por executivos de grandes empresas interessados no sigilo absoluto de informações sobre remuneração, usando para isso um instituto chapa branca como forma de evitar um litígio direto com o regulador.

Só para lembrar meus queridos leitores, a petição que fundamentou o pleito indireto dos executivos tinha como premissa básica que a informação pública viola a privacidade e a intimidade dos executivos, afirmando que “coloca-se em risco a segurança dele e de sua família, diante das altas taxas de criminalidade que infelizmente assolam o país”.

Pois é, parece que não é bem assim.... Vocês já ouviram falar de CEO sequestrado? Me contem, por favor !!! Se ocorreu foi por conta de alguma desavença com ex empregado, e mesmo assim duvido que o meliante tenha lido o Formulário de Referência.

Mas nada como um estudo acadêmico elaborado por renomeados estudiosos no assunto, os professores Lucas Barros (USP), Alexandre Di Miceli (Fecap), Patrícia Bortolon (UFES) e Ricardo Leal (COPPEAD/UFRJ), para desmascarar aquilo que parecia uma verdade absoluta. Vale a pena conferir "Facing the Regulators: Non-Compliance with Detailed Mandatory Compensation Disclosure in Brazil", disponível em https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=2508935.

Palmas para a academia !!! Quem sabe com esse estudo anexo ao famigerado processo o judiciário não se convence que a ocultação de informações só interessa a não mais do que 3 dúzias de executivos. 
 
Abraços a todos,
Renato Chaves

2 de dezembro de 2017

Quanto os Administradores “consomem” da receita operacional líquida – por grupos de faturamento?


Para desespero de alguns executivos chegou a hora da lista com a relação “receita líquida x remuneração global”.... Parece que a crise não passou nem perto da turma.

Sempre é bom lembrar que essa compilação tem origem nas informações publicadas de forma organizada no Anuário de Governança Corporativa das Companhias Abertas 2017-2018 da Revista Capital Aberto (dados dos Formulários de Referência de 2016), com um universo das 100 empresas mais negociadas na bolsa brasileira (a versão digital do Anuário contém 150 empresas – para assinantes em www.capitalaberto.com.br). Ou seja, informações públicas.

E que tal comparar a remuneração dos executivos da empresa onde você investe com outras empresas de receita equivalente?

O momento é propício, afinal a mobilização para as assembleias de 2018 está começando e existe um incômodo generalizado entre os investidores, já exposto com expressiva rejeição às propostas de verba global em importantes assembleias de 2017.

Nesta postagem separei as empresas em 3 grandes grupos: (i) ROL até R$ 5 bilhões, (ii) ROL entre R$ 5 e 30 bilhões e (iii) ROL acima de R$ 30 bilhões.

Os resultados são assustadores... Teve empresa que perdeu receita, mas aumentou a verba global. Esforço para reter “talentos”? Vai ver os executivos entraram na sala de aula do curso de gastronomia (sem nenhum tom de crítica por favor), quando o certo seria uma aulinha de planejamento financeiro.

(i) ROL até R$ 5 bilhões: a média desse grupo ficou em 1,54% e a “festa” envolve bancos, administradoras de shopping, empresas de tecnologia, etc... Desculpas do tipo “teve pacote de saída”, “teve pacote de contratação” serão ouvidas, mas terão que ser muito bem explicadas na próxima safra de formulários de referência, amparados pelo novo Código de Governança Corporativa (e viva a CVM !!!). Acho que vai ter muito “chilique no explique”.


Remuneração
Receita Líquida
Relação
ABC Brasil
         100.188.920
                    1.519.558.028
6,59%
AES Tiete
              7.028.486
                    1.561.348.000
0,45%
Aliansce
           17.699.111
                        487.550.930
3,63%
Alpargatas
           23.596.300
                    4.054.403.899
0,58%
Alupar
              6.712.416
                    1.553.811.000
0,43%
Arezzo
           10.144.235
                    1.239.110.901
0,82%
B3
           54.065.801
                    2.320.781.000
2,33%
BRMalls
           36.893.084
                        309.400.532
11,92%
BR Properties
              7.972.011
                        465.681.000
1,71%
Bradespar
              4.406.654
                        629.322.591
0,70%
Cesp
              3.597.688
                    1.668.590.345
0,22%
Cia Hering
           14.972.634
                    1.475.137.000
1,01%
Copasa
              5.720.341
                    4.032.875.237
0,14%
CVC
           37.028.756
                    1.063.929.000
3,48%
Cyrela
           24.129.013
                    3.195.310.476
0,76%
Duratex
           33.297.776
                    3.909.760.087
0,85%
Ecorodovias
           26.121.563
                    2.828.996.331
0,92%
Estácio
           16.241.491
                    3.184.504.815
0,51%
Eztec
           11.361.002
                        572.227.000
1,99%
Fleury
              9.108.000
                    2.096.113.000
0,43%
Gafisa
           12.674.240
                        915.698.000
1,38%
Grendene
              6.646.614
                    2.045.114.859
0,32%
Hypermarcas
           50.825.179
                    3.288.747.000
1,55%
Iguatemi
           18.734.150
                        668.147.000
2,80%
Linx
           10.077.235
                        495.798.953
2,03%
Localiza
           39.541.813
                    4.439.273.000
0,89%
Marcopolo
           16.091.920
                    2.574.093.000
0,63%
Metal Leve
              6.976.797
                    2.236.007.000
0,31%
MRV
           21.300.895
                    4.249.049.000
0,50%
Multiplan
           32.226.959
                    1.109.950.000
2,90%
Multiplus
           11.241.206
                    2.199.284.000
0,51%
Odontoprev
           13.557.672
                    1.365.038.649
0,99%
Qualicorp
           36.902.220
                    1.964.404.000
1,88%
Randon
           11.436.505
                    2.623.976.376
0,44%
Sanepar
           11.233.155
                    3.477.525.301
0,32%
São Martinho
           33.705.247
                    3.122.348.000
1,08%
Ser Educacional
              6.807.268
                    1.125.380.000
0,60%
Smiles
           10.192.294
                    1.548.109.000
0,66%
Taesa
           12.954.865
                    1.391.074.000
0,93%
Totvs
           30.847.473
                    2.183.784.382
1,41%
Tupy
           21.401.135
                    3.255.310.000
0,66%
Valid
           10.593.528
                    1.723.850.000
0,61%
Wiz
           14.107.851
                        403.747.000
3,49%
Media
1,54%


(ii) ROL entre R$ 5 e 30 bilhões: muita gente extrapolando a média de 0,24%... até incríveis 1,15% da turma que erra a sala de aula.


Remuneração
Receita Líquida
Relação
B2W
           14.446.339
                    8.601.310.890
0,17%
Banrisul
              4.726.302
                  14.286.000.491
0,03%
BB Seguridade
              6.293.094
                    5.216.976.000
0,12%
CCR
           36.789.000
                    9.996.067.000
0,37%
Cemig
           15.082.184
                  18.772.656.000
0,08%
Cielo
           45.138.400
                  12.300.784.000
0,37%
Copel
              8.264.590
                  13.101.753.000
0,06%
Cosan
           30.513.098
                    7.541.793.000
0,40%
CPFL
           29.000.000
                  19.112.089.000
0,15%
CSN
           88.816.045
                  15.331.852.000
0,58%
CTEEP
              6.579.937
                    7.789.239.919
0,08%
EDP
              6.772.766
                    9.364.772.000
0,07%
Eletropaulo
           13.270.827
                  11.659.899.000
0,11%
Embraer
           20.360.000
                  21.435.696.271
0,09%
Energisa
              1.286.267
                  11.810.695.000
0,01%
Engie
           20.661.872
                    6.442.370.895
0,32%
Equatorial
           20.363.120
                    7.825.601.000
0,26%
Fibria
           13.476.257
                    9.614.817.000
0,14%
Gol
           15.911.466
                    9.867.334.902
0,16%
Iochpe
           15.824.446
                    6.816.454.000
0,23%
Itausa
           12.168.769
                  13.266.000.000
0,09%
Klabin
           42.733.096
                    7.090.798.000
0,60%
Kroton
           60.459.577
                    5.244.718.000
1,15%
Light
           22.456.089
                    9.645.237.000
0,23%
Lojas Americanas
           50.024.330
                  18.103.511.714
0,28%
Lojas Renner
           30.476.839
                    6.451.578.867
0,47%
M Dias Branco
           20.375.189
                    5.328.070.478
0,38%
Magazine Luiza
           16.828.417
                    9.508.745.000
0,18%
Marfrig
           22.806.672
                  19.333.453.000
0,12%
Minerva
           10.487.759
                    9.648.070.000
0,11%
Natura
           40.204.400
                    7.912.664.278
0,51%
Oi
           38.868.980
                  25.996.423.000
0,15%
Porto Seguro
           18.557.621
                  16.247.888.000
0,11%
Raia Drogasil
           39.843.150
                  11.256.565.000
0,35%
Sabesp
              4.106.929
                  14.098.207.668
0,03%
Sul America
              5.461.277
                  16.765.985.000
0,03%
Suzano
           38.597.666
                    9.882.313.000
0,39%
TIM
           21.051.605
                  15.617.413.177
0,13%
Usiminas
           13.484.954
                    8.454.200.000
0,16%
Via Varejo
           32.043.805
                  19.819.000.000
0,16%
WEG
           39.581.000
                    9.367.008.000
0,42%
Media
0,24%

(iii) ROL acima de R$ 30 bilhões: nada como ser executivo de banco... Diretores, conselheiros, todo mundo ajudando para a relação ficar acima da média (0,12%), com aquele blábláblá “temos muitos diretores estatutários”. E olha que as estatais jogam a média pra baixo....


Remuneração
Receita Líquida
Relação
Ambev
           57.865.281
                  45.602.561.000
0,13%
Banco do Brasil
           55.537.471
                168.039.000.000
0,03%
Bradesco
         572.000.000
                237.368.874.000
0,24%
BRF
           50.181.818
                  33.732.866.000
0,15%
Eletrobras
              8.487.376
                  60.748.853.000
0,01%
Gerdau
              4.580.139
                  37.651.667.000
0,01%
Itau Unibanco
         313.798.000
                  74.333.853.456
0,42%
JBS
           14.475.035
                170.380.526.000
0,01%
Met Gerdau
              1.376.555
                  37.651.667.000
0,004%
Pão de Açúcar
           77.448.723
                  41.454.000.000
0,19%
Petrobras
           18.542.968
                282.589.000.000
0,01%
Santander
         260.753.368
                  77.146.077.000
0,34%
Telefonica
           60.585.121
                  42.508.458.565
0,14%
Ultrapar
           51.541.800
                  77.352.955.000
0,07%
Vale
           63.261.701
                  94.633.000.000
0,07%
Media
0,12%

Por fim, nunca é demais lembrar que não se trata de uma pesquisa acadêmica, mas somente um singelo alerta para os investidores que “esquecem” de olhar tão importante ferramenta de incentivo ou por vezes de desalinhamento.... Afinal, toda despesa sai da receita gerada, ainda não inventaram outro jeito.

Abraços a todos,

Renato Chaves