Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

20 de junho de 2015

Quanto os executivos “consomem” da receita operacional líquida?

Nada de rigor acadêmico, mas somente alguns números para reflexão.

Ainda com base nas informações de 2013, apurei a relação entre a remuneração total dos executivos e a receita operacional líquida. A média de um universo de 95 empresas foi de 0,70% (excluídas da lista original de 100 empresas Bradespar, IMC, Even, HRT, Prumo e Valid por motivos diversos). Lembrando que são informações publicadas de forma organizada no Anuário de Governança Corporativa das Companhias Abertas 2014 da Revista Capital Aberto.

O “sentimento” de que nas empresas maiores, com faturamento acima de R$ 10 bilhões, a remuneração se dilui parece verdadeiro, mesmo constatando que o número de diretores estatutários é maior nessas empresas.

Ou seja, nas empresas que faturam menos, que em tese teriam operações menos complexas, os executivos estão “pesando” mais.
Algumas justificativas podem ser aceitas, como de uma empresa ainda em fase inicial, mas o fato é que alguns setores chamam a atenção, como shopping centers, além da presença marcante de empresas “sem dono”.

Destaque para a campeã das campeãs, BrMalls, com uma remuneração dos diretores superior à do Pão de Açúcar (R$ 57,7 MM contra R$ 54,9 MM), sendo que o varejista de alimentos fatura quase 50 vezes mais (R$ 57,7 bilhões contra R$ 1,2 bilhão da empresa de shopping).

O fato é que os números apresentados por 23 empresas acima da média (0,70%) assustam. São elas:

Remuneração total 2013
Receita 2013
relação
Aliansce
                        15.023.212
             448.421.306
3,35%
Anhanguera
                        25.352.751
         1.812.781.286
1,40%
B2W Digital
                          9.552.440
             608.849.978
1,57%
BM&Fbovespa
                        45.969.662
         2.131.795.000
2,16%
BR Insurance
                        11.018.317
             257.847.755
4,27%
BR Malls
                        57.767.800
         1.247.432.000
4,63%
BR Properties
                        17.918.327
             923.670.000
1,94%
Cetip
                        42.764.946
             908.196.000
4,71%
Cia. Hering
                        15.583.893
         1.679.778.977
0,93%
Duratex
                        40.473.300
         3.872.704.522
1,05%
Eneva
                        45.000.732
         1.438.831.000
3,13%
Estácio
                        21.411.291
         1.731.010.292
1,24%
Eztec F
                        10.929.534
         1.138.961.958
0,96%
Gafisa
                        23.695.677
         2.481.211.000
0,96%
Iguatemi
                        12.382.129
             418.869.000
2,96%
Kroton
                        52.643.996
         2.105.942.000
2,50%
 Localiza
                        32.814.845
         3.506.235.000
0,94%
Mills
                        11.990.423
             832.262.000
1,44%
MMX Mineração
                          9.806.742
         1.041.164.000
0,94%
 Multiplan
                        27.124.005
             973.054.000
2,79%
Odontoprev
                          9.082.536
         1.069.605.791
0,85%
Qualicorp
                        10.000.671
         1.199.534.000
0,83%
Totvs
                        25.764.706
         1.611.793.430
1,60%

Nas próximas postagens trarei os números por grupos de faturamento e a relação “remuneração X EBITDA”.

Abraços a todos,

Renato Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.