Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

8 de novembro de 2014

Investidor grande demais para ser contrariado?

O alerta não é do blogueiro, mas sim do conhecido FMI. Diz em seu relatório semestral, comentado pelo jornal Valor no dia 11/10: “FMI vê risco na concentração de ativos em gestoras”, com destaque para a seguinte observação “... os preços dos ativos ficam muito vulneráveis a movimentações feitas por esses fundos, além de acarretar outros problemas, como a falta de diversidade para os investidores e o risco de contágio em momentos de estresse”.

Os números assustam: as 10 maiores gestoras têm aproximadamente US$ 19 trilhões em ativos sob gestão. Por vezes esses fundos aparecerem como guardiães da boa governança corporativa, mas sempre com interesses obscuros.

Essa novela já pode ser observada em algumas grandes empresas no Brasil. Um bom exemplo é o da gigante dos frangos, onde um fundo conseguiu conduzir um de seus sócios ao cargo de CEO !!! Uma verdadeira aberração.

O ideal seria só permitir a eleição de conselheiros por investidor que possuísse ações há mais de 1 ano. Assim separaríamos os especuladores dos investidores realmente comprometidos com o futuro das empresas. Quem compra ação hoje para vender amanhã, aluga ações ou fica arbitrando com opções tem outros interesses, mais imediatos e desalinhados com a Cia.
 
Olho vivo nessa turma !!!

Abraços a todos,

Renato Chaves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.