Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

10 de março de 2013

Independência de mentirinha no país do consenso para tudo.


Temporada de assembleias chegando e a eleição de conselheiros promete. Lá fora até a turma do Pateta está sendo questionada (vide o artigo sobre o caso em http://m.professionalpensions.com/professional-pensions/news/2251617/hermes-eos-demands-proxy-access-to-walt-disney-board). O artigo publicado na Revista Capital Aberto deste mês (Falsa independência, de autoria do experiente conselheiro Nélio Henriques Lima), onde o autor afirma que “na prática, porém, nenhum acionista deseja em um conselho alguém que venha a contrariar seu posicionamento” e ainda “a nomeação, em sua maior parte, advém da proximidade com o controlador – seja por afinidades profissionais, seja por relação de amizade ou até laços familiares”, soma-se aos fatos apresentados na matéria “Independência fajuta” (edição de novembro/2011 da premiadíssima jornalista Yuki Yokoi na mesma revista) e reforça os argumentos que apresentei na postagem do dia 22/10/2010 (Será que os conselheiros independentes são realmente independentes?). Será que não está na hora de um Parecer de Orientação para “sugerir” a eleição de independentes a partir de uma lista tríplice apresentada por acionista/grupo com 5% do capital, sem a interferência do controlador ou do conselho de administração?

Um apelo aos pesquisadores de plantão: leiam as atas de conselhos de administração onde existem “independentes” que são publicadas e tentem identificar votos contrários ou simples questionamentos.... Vai ser mais fácil achar pinguim Imperial nadando com o pessoal da equipe Fox no posto 6. Isso porque infelizmente no nosso País prevalece a mediocridade do consenso para tudo, onde o conselheiro que pergunta muito é rotulado como um sujeitinho cético, que não acredita em nada.

Abraços a todos e uma boa semana,
Renato Chaves

2 comentários:

  1. É Renato, já conheci uma empresa que o minoritário indicou um fornecedor para ser membro do CA. Quando perguntei ele me respondeu que este fornecedor seria muito mais independente de qq medalhão do mercado, devido a sua postura. Neste dia sai em reflexão, a gente vive e aprende nessa vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, tem até ex-controlador que vira "independente" depois que a empresa é incorporada, uma verdadeira piada. Por essas e outras é que defendo a emissão de um parecer de oreintação pela CVM para "organizar" a bagunça.
      Um abraço,
      Renato Chaves

      Excluir

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.