Boas-vindas

Caro visitante,
A proposta do Blog da Governança é estimular o livre debate em torno de tópicos atuais relacionados com o tema Governança Corporativa.
Fiel ao compromisso com a transparência, o espaço pretende também funcionar como um fórum de estímulo ao ativismo societário (ou ativismo participativo), com foco na regulação para as empresas de capital aberto.

18 de março de 2012

“Punição” para malfeitos no mercado de capitais.


Provavelmente todos os visitantes do Blog viram o filme Wall Street, onde o ator Michael Douglas faz o papel do ganancioso Gordon Gekko. Talvez movido por algum sentimento patriótico, agora ele “mudou de lado”, aparecendo como garoto propaganda do FBI contra os insiders (o vídeo “FBI Public Service Announcement with Michael Douglas on Insider Trading” está disponível no Blog – seção “notícias/vídeos relacionados com Governança Corporativa” no final da página)... Mal comparando, enquanto na terra do Tio Sam os delitos do gênero são tratados pelo tão temido FBI como crimes gravíssimos e as rápidas apurações geralmente resultam em condenações com inabilitação, xilindró e multas milionárias, no nosso mercado de capitais (e também na nossa política republicana) desvios de caráter que afetam a credibilidade de todo o mercado continuam sendo tratados como malfeitos infantis, do tipo “comer os docinhos em festa de criança antes de cantar o tradicional parabéns”. Nada que um puxão de orelhas e um DARF para o Grande Cofre não resolvam.
Ao analisarmos recente julgamento setembrino fica a convicção de que as multas de 3 vezes os ganhos auferidos com as negociações ilícitas certamente serão pagas sem que os amigos dos condenados tenham que promover um encontro no Club A, regado a Veuve Clicquot, para arrecadar donativos. Afinal, quem tem dinheiro na carteira para tentar ganhar ilicitamente R$ 15 mil com informação privilegiada do filhinho pode pagar R$ 45 mil sem ter que adiar o tour gastronômico semestral para degustar macarons no requintado La Durée. E para sorte dos malfeitores (eram 2), só se configura a formação de quadrilha/bando no direito criminal quando 3 ou mais “agentes” se unem para praticar um delito, mesmo que exista relação familiar entre os envolvidos.
E o “mercado” perde mais uma oportunidade de afastar esse tipo de “esperto” com uma inabilitação exemplar de 20 anos.... Como voltei com o fôlego renovado do Atacama continuarei sussurrando meu tímido protesto, no melhor estilo “pregação no deserto”. Quem sabe o FBI não se comove e nega visto para essa galera visitar Orlando, Miami e NY.
Nota: e por falar em malfeitos, o cartola pachorrento que envergonha o povo de Carlos Chagas/MG foi embora para Miami, sob a confortável proteção de um acordo na justiça da Suíça... (se ficasse no Rio e fosse visto pela galera no Pepê ia ficar até sem as havaianas). Foi tarde. Agora só falta o coronel bigodudo e imortal pendurar as chuteiras (e a caneta também para nos poupar de novos marimbondos voadores nas livrarias...).
Abraços a todos e uma boa semana,
Renato Chaves

Um comentário:

  1. As regras que cercam os operadores de mercados de capitais são muito restritas e voltadas aos membros de tal mercado.

    Clareza e transparência nunca é demais.

    ResponderExcluir

Caro visitante, apesar da ferramenta de postagem permitir o perfil "comentário anônimo", o ideal é que seja feita a identificação pelo menos com o 1º nome. A postagem não é automática, pois é feita uma avaliação para evitar spams. Agradeço desde já a sua compreensão.